quarta-feira, 20 de novembro de 2019

JOSÉ MÁRIO BRANCO (1947-2019)

Sentida homenagem a José Mário Branco,  poeta, escritor, compositor, cantautor e produtor que faleceu ontem.

A Biblioteca Municipal, já tem disponível na sua vitrine de destaques alguns dos seus cd's, para que todos possam desfrutar do legado deste marcante artista da música portuguesa do séculos XX e XXI.

José Mário Branco era natural do Porto, foi homenageado na Feira do Livro da sua cidade, no ano passado e passou a ter uma tília em sua homenagem no Palácio de Cristal, à semelhança de Agustina Bessa-Luís, Vasco Graça Moura, Mário Cláudio e Sophia de Mello Breyner Andresen.






Emigrantes da quarta dimensão

Dá-me uma ajuda, ó médico das almas
Para escolher em que combate combater
Quem condeno eu à vida 
Quem condeno eu à morte
Que me podes tu dizer

Encostado à árvore do tempo
Folhas vivas, folhas mortas, estações
Nada disto faz sentido 
E o sentido do sentido não paga as refeições 

Este torpor só tem uma solução 
Sejamos deuses, é meter as mãos à obra 
E no fazendo acontecendo 
Deixar ir o coração 
Que é o que nos sobra 

Ao fazer-se o mundo nasce de si próprio 
Ser avô é uma alegria atravessada
Dá para rir e p'ra chorar 
Não temos nada com isso 
E nada não é nada






Saiba mais em:



terça-feira, 19 de novembro de 2019

" A FADA SOPHIA" POR PAULO CONDESSA | 26 NOVEMBRO | 21H30 | PAÇOS DA CULTURA |





PERFORMANCE POÉTICA - HOMENAGEM A SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN
 
“A FADA SOPHIA  -  fantasia poética sobre a vida, os sonhos e os poemas da fada que nos alimenta a alma” por Paulo Condessa
Uma intervenção poética simples e intimista, acompanhada pelo envolvente som de taças tibetanas, com leituras sensíveis e irrequietas reflexões sobre a mulher e a obra que marcou o imaginário colectivo português do século XX. 
Algures entre o sonho e a realidade, a prosa dos dias e a música subtil do pensamento poético,  uma viagem profunda e lúdica ao oceano da fada que se manteve  fiel ao seu fresco olhar de  menina e para sempre adormeceu, junto à cabeceira da nossa eterna juventude.
Público-Alvo: Público em geral
Local: Paços da Cultura  
Quem é Paulo Condessa?
Participou na 1ª edição do Festival de Poesia à Mesa, em 2003. Interrompeu a sua participação durante alguns anos, mas em 2016 passa a ser o Comissário deste Festival com José Fanha.
Define-se a ele próprio e ao seu trabalho assim:


"A Escrita e a Leitura são os escafandros para mergulhar em nós.
Trabalho sozinho e em grupo, exploro menos significados, mais sentidos. Crio espectáculos e oficinas, recheados com sinestesias e outras delícias literais. Escrevo como quem desenha um mapa, leio como quem desmonta um brinquedo. E aproximo-me do tesouro: nós!, sempre nós.  A nossa alma de meninos e a nossa madura capacidade de reescrever o Passado, desembrulhando o Presente. 
Não comecei por aqui: tive a cabeça e o coração num sítio diferente. Inundei-me em Ciências da Comunicação; Marketing; Publicidade; e algumas coisas boas ficaram dessa vida intensa vivida ao segundo. Mas andava um pouco por fora e vi-me obrigado a descobrir cá dentro  aquilo que sou quando me dou inteiro ao mundo.
Agora cozinho tudo no mesmo bolo, arte, ciência, filosofia, terapia, religião, economia, acreditando que um dia não haverá seres humanos separados, fatia por fatia.
Dia a dia, sigo o rasto da fada transparente que abria a boca fininha e dizia soprando pelo buraco da fechadura: ”a poesia nasce na raíz da vida e desagua nas folhas da literatura” 
"Hoje, a minha vida são pessoas. São sensações. Através da escrita e da leitura mergulho na profunda humanidade dos seres. Eu e os Outros. Os Outros e Eu. Nós.
E a Natureza a sorrir ao fundo, como um pai que observa o filho enquanto brinca.
Uma fada, uma minhoca, um astronauta, um médico, muita tinta
que pinta lá dentro onde somos tudo isso e ainda
O Feiticeiro de Oz.
Não trabalho com significados, trabalho com sentidos. Sentir, exprimir.
Invento espectáculos, invento oficinas. Vou a espectáculos, vou a oficinas.
Para mim, a escrita é um mapa. A leitura é um mapa. Não é o tesouro.
O tesouro somos nós, a nossa alma de meninos ainda traquinas
a nossa madura capacidade de entrega
à mãe das almas do mundo.
Trabalho sempre no Presente porque, no fundo, o Presente é um Presente.
Não comecei por aqui. Comecei lá longe, com a cabeça e o coração num sítio diferente.
Ciências da Comunicação. Marketing. Publicidade. Vida intensa vivida ao segundo.
Mas talvez… um tudo nada ausente…
talvez… andasse por fora e me visse agora obrigado a olhar para dentro
daquilo que sou; agora e quando
me dou inteiro ao mundo.
Misturo tudo; arte, ciência, filosofia, terapia, religião, economia e um dia não haverá um Ser Humano separado fatia por fatia. Já sinto o bolo de luz inteiro como um ovo,
o novo resplandescente Mundo Novo. Por isso sigo
o rasto da fada transparente que abria a boca fininha
e soprava pelo buraco da fechadura
a poesia nasce na raíz da vida e desagua
nas folhas da literatura."

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

"QUANDO" DE SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN


SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN - 6 NOVEMBRO 1919

Para assinalar o centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, a 6 de novembro, no Porto, a Biblioteca oferece durante todo o dia de hoje, alguns dos seus poemas impressos e um marcador de livros a todos os leitores que nos visitarem.

Além da exposição bibliográfica que está patente durante o mês de novembro, na receção da biblioteca, decorrerá também nos Paços da Cultura a performance poética "A fada Sophia" por Paulo Condessa, no dia 26 de novembro, pelas 21h30.

Com estas iniciativas a Biblioteca Municipal pretende homenagear e promover a leitura do legado de uma das poetisas portuguesas mais importantes do século XX e dar a conhecer a sua diversificada e monumental obra literária.
 


 

terça-feira, 15 de outubro de 2019

PRÉMIO LITERÁRIO JOÃO DA SILVA CORREIA 2018





O Prémio Literário João da Silva Correia, grande escritor sanjoanense, foi instituído pelo Município de S. João da Madeira, em 1986, com o objetivo de promover a leitura e a escrita criativa e de incentivar o aparecimento de novos valores e talentos literários.

O júri da edição de 2018, constituído pelo ex-ministro da Cultura, escritor, poeta e ficcionista Luís Filipe Castro Mendes, pelo poeta José Fanha e pelo editor António Baptista Lopes, apreciou mais de quatro dezenas de obras de poesia, tendo atribuído o Prémio João da Silva Correia à obra "Manhãs do Mundo" de Nuno Figueiredo, pela sua qualidade poética.

Nuno de Figueiredo nasceu em Coimbra, onde reside e trabalha. É licenciado em engenharia civil pelo Instituto Superior Técnico.
Como poeta, publicou em 1985, o seu primeiro livro "O Desencanto em canto" (edição de autor).
Mais recentemente editou em 2014 "Crepúsculo" (Taratruga), prémio Fernão de Magalhães Gonçalves, e "Longo caminho para casa" (Minerca Coimbra), prémio Florbela Espanca.
"Dias verticais", prémio Vasco Graça Moura 2016, foi lançado em 2017 pela Afrontamento, e "Sublimação da matéria", distinguido em 2017 com o prémio António Cabral, encontra-se a aguardar edição.
"Epifanias" foi galardoado com o prémio Actor Mário Viegas 2018, instituído pelo Centro Cultural Regional de Santarém, que promoveu a edição.
Como ficcionista, iniciou-se em 1997 com o romance "Os dias gloriosos do Império", primeiro volume de uma trilogia intitulada "Vida e morte de Inocêncio".
Os livros mais recentes são "Rendição e trevas", galardoado em 2011 com o prémio literário Alves Redol (romance), a que se seguiu "Vida e sombra", em 2012, prémio literário Miguel Torga, atribuído pela Câmara Municipal de Coimbra.
Em 2016 saíram os últimos romances: "Aprender a perder" (C.M. Coimbra), prémio João José Cochofel, e "Gramática da melancolia" (Âncora Editora), prémio Orlando Gonçalves.
Pelo meio ficam três dezenas de outras obras - poesia, contos, romances - a várias das quais foram atribuídos prémios literários.
escreve para jornais e revistas de letras e está representado em diversas recolhas e antologias.


Apesar do regulamente não prever a atribuição de Menções Honrosas, o júri acordou em atribuir 5 menções honrosas aos seguintes concorrentes:





menções honrosas:
PSEUDÓNIMO GABRIELA AL – “OS CONTENTORES NÃO CABEM NAS CARAVELAS”
Ana Maria Carvalho Pinheiro Vieira (Lisboa)

PSEUDÓNIMO ANTÓNIO BASTOS DE CASTRO – "A QUAL FONTE O SOL REGRESSA? SEGUIDO DE PÁSSARO MOLHADO NA ALGIBEIRA"
Luís Aguiar (Águeda)

PSEUDÓNIMO PILAR VERDADE - "Eras o cervo que fugia depois de haver-me ferido"
Fernando Manuel da Cruz Cabrita (Olhão)

PSEUDÓNIMO LUCA DI S. PIETRO – "UMA CASA DE PAPEL ONDE MORAR"
Nuno Garcia Lopes (Asseiceira)

PSEUDÓNIMO NGOLA NALEMU - "IMPRECISÕES"
José Manuel Teixeira (Guimarães)

terça-feira, 9 de julho de 2019

terça-feira, 9 de abril de 2019

CONCURSO DE POESIA NA CORDA 2019 – PREMIADOS



Poemas pequeninos

Tema: Ambiente - 1º lugar ex-aequo
Titulo: “Água”
Nome: Martim Figueiredo Canavilhas (2011)
Escola: EB1 de Carquejido
Professora: Xana

Tema: Ambiente - 1º lugar ex-aequo
Titulo: “Amigo”
Nome: Matilde Amorim Soares (2011)
Escola: EB1 de Carquejido

Tema: Ambiente - 2º lugar
Titulo “O mar e a areia”
Nome: Inês Magalhães Ferreira (2010)
Escola: EB1 Parque
Professora: Marisela

Tema: Ambiente - 3º lugar
Titulo: “Causa efeito”
Nome: Mafalda de Barros Guerra (2009?)
Escola: EB1 Conde Dias Garcia- 4º ano

Tema: Amor - 1º lugar
Titulo: “O Marshall e eu”
Nome: Maria Coelho Andrade (2009)
Escola: EB1 de Carquejido
Professora Carla Figueiredo

Tema: Amor - 2º lugar
Titulo: “Os Ciúmes”
Nome: Isabela Mateus Silva (2010)
Escola: EB1 Parrinho
Professora: Filipa Rosário

Tema: Amor - 3º lugar
Titulo: “A mãe ama-me”
Nome: Duarte Rafael Pinho (2011)
Escola: Maria Godinha de Nogueira de Cravo

Tema: Amor - 4º lugar
Titulo: “O amor”
Nome: Gonçalo Miguel Pinho Soares Tavares (2007)
Escola: E.B 2/3 de São João da Madeira

Tema: Indústria e Comunidade - 1º lugar ex-aequo
Titulo “O ataque das palavras”
Nome: Francisco Castro (2009)
Escola: EB1 Carquejido
Professora Salomé

Tema: Indústria e Comunidade - 1º lugar ex-aequo
Titulo: “SJM”
Nome: Eduardo Dinis (2010)
Escola: EB1 Parque

Tema: Outros - 1º lugar
Titulo: “Diálogo”
Nome: Martim Ricardo Sousa Paiva (2011)
Escola: EB1 Espadanal

Tema: Outros - 2º lugar ex-aequo
Titulo: O início de Portugal
Nome: Marco António Ciarallo Azevedo Florindo (2009=
Escola: EB1 Espadanal
Professora: Ana Vinha

Tema: Outros - 2º lugar ex-aequo
Titulo: “Milagre das Rosas”
Nome: Beatriz Trindade da Silva Gomes (2009)
Escola: EB1 Espadanal
Professora: Ana Vinha

Tema: Outros - 3º lugar ex-aequo
Titulo: “Mas afinal, quem inventou?”
Nome: Leonor Carvalho Almeida (1009)
Escola: EB1 de Carquejido
Professora: Salomé

Tema: Outros - 3º lugar ex.aequo
Titulo: “Por ti ADS”
Nome: Rafael Costa Godinho (2009)
Escola: EB1 Conde Dias Garcia- 4º ano

Poemas Jovens

Tema: Ambiente - 1º lugar
Titulo: “Dever de todos”
Nome: Anaís Monteiro Paiva (2007)
Escola: EB2/3 São João da Madeira
Professora Rosário Ferreira

Tema: Amor - 1º lugar
Titulo: “I have panic attacks”
Nome: Inês Pais Valente (2002)
Escola: Escola Secundária de Santa Maria da Feira

Tema: Amor - 2º lugar
Titulo: “Ama-me”
Nome: Joana Correia; Diogo Soares; Sara Reis; Francisco Moreira; Francisco Quelhas; Rui Bastos; Bruna Silva; Rodrigo Coutinho (2002)
Escola: Escola Básica e Secundária Oliveira Júnior

Tema: Amor - 3º lugar
Titulo: “Amor”
Nome: Diana Sofia Pinho Oliveira (2002)
Escola: Soares de Bastos de Oliveira de Azeméis
Serviços Sociais

Tema: Indústria e Comunidade - 1º lugar
Titulo: “Sapato Especial”
Nome: Solange Ferreira; Mariana Silva; Mariana Bastos (2001)
Escola: Escola Secundária Oliveira Júnior

Tema: Outros - 1º lugar
Titulo: “A matemática na minha vida”
Nome: Carlos Andrade (2001)
Escola: Escola Secundária Dr. Serafim Leite

Tema: Outros - 2º lugar
Titulo: “Para mim a Matemática é…”
Nome: Beatriz Silva Pinto de Oliveira (2001)
Escola: Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite

Poemas Adultos

Tema: Ambiente - 1º lugar
Titulo: “Cidade Jardim”
Nome: António José dos Santos Neves (1957)
Trabalhador do Calçado

Tema: Amor - 1º lugar
Titulo: “O teu cabelo é um poema”
Nome: Isabel Oliveira (1986)
Salão Judit´s hair’s

Tema: Amor - 2º lugar
Titulo: “Amor”
Nome: A Bem Dizer (1966)
Escola Secundária Oliveira Júnior

Tema: Amor - 3º lugar
Titulo: “Coração de gaivota”
Nome: Dina Silvério

Tema: Indústria e Comunidade - 1º lugar
Titulo: “Mudar o mundo”
Nome: António Maria Pereira Mendes (1947)

Tema: Indústria e Comunidade - 2º lugar
Titulo: “Avisto a minha cidade!”
Nome: A Bem Dizer (1966)
Escola Secundária Oliveira Júnior

Tema: Outros - 1º lugar
Titulo: “O meu jantar”
Nome: Lizete Gomes (1940)

Tema: Outros - 2º lugar
Titulo: “Tempo”
Nome: Ana Pinho (1960)
Agrupamento João Silva Correia

Tema: Outros - 3º lugar
Titulo: “Poesia em mim”
Nome: Anabela Neves (1975)