terça-feira, 13 de julho de 2010

POEMA A SARAMAGO DE EVA CRUZ

Levantado do chão
como só os Homens de sonho se erguem
não há vida que te deite nem morte que te leve.
A lucidez esparsa em luz nas páginas dos teus livros
de mão dada com a terna dureza do teu carácter
há-de curar os olhos da cegueira
e abrir as palavras do teu Evangelho
às correntes límpidas dos rios
que regam a terra de sabedoria.

Eva Cruz

In Jornal Labor
de 24-06-2010

Sem comentários: