quarta-feira, 28 de setembro de 2011

"FURADOURO" de Regina Célia Pereira da Silva


Ventania de nortada,
Brisa marítima
Odor de maresia
Perfume de infância.

Brilhante, branca
E imensa a areia...

Espumejante dilaga
A água salgada
Sempre em movimento,
Sempre agitada.

Peixes prateados
Saltam das redes...

A traineira chega
cansada, mas cheia
De fresco pescado
Por muitos desejado.

Decorre a lota e os pescadores
apregoam
Os banhantes aproximam-se
compram.

A longa avenida
Traz à memória
Dias felizes, de fantasia.
Sonhos que viviam em segredo.

In
Silva, Regina Célia Pereira da - Trasparenze culturali, oggetti d'oggi e pensieri: transparências culturais, objectos de hoje e pensamentos. 1ª ed. Palermo : Aletti Editore , 2011. , 107 p. ; 21 cm. ISBN: 978-88-6498-566-4

Regina Célia Pereira da Silva nasceu em S. João da Madeira, Portugal, é docente de Língua, Cultura e Tradição Portuguesa, no Instituto Camões de Lisboa, na Universidade de Estudo Suor Orsolo Benincasa, Nápoles.
Doutorada em Literatura Moderna e Estudos Filológico-Linguísticos na Faculdade de Letras da Universidade de Estudo de Palermo em colaboração com a Universidade de Estudos Orientais de Nápoles.
Ganhou o prémio jornalístico internacional "Theodor Mommsen 2001", na secção "Coppa de Nestor" com o artigo "O vinho do Porto" e o prémio em língua estrangeira atribuído pela Associação Nápoles Cultural Clássico no ano de 2010, com o poema "Ela".
Desde sempre se interessou pela poesia numa perspectiva multicultural, tem participado activamente em diversas sessões de poesia, em encontros literários e culturais, tendo já publicado diversas obras e poesia.

Sem comentários: