segunda-feira, 11 de abril de 2016

ENTREGA DOS PRÉMIOS DA POESIA NA CORDA

Hoje, pelas 18 horas, na Biblioteca Municipal,  decorreu a Cerimónia de Entrega dos Prémios da Poesia na Corda 2016.

Num total de 205 poemas foram seleccionados os seguintes:



POEMAS PEQUENINOS
Tema: AMOR
TÍTULO: O AMOR


O amor é vermelho
como as tulipas.
O amor é perfumado
como as rosas.
O amor é saboroso
como o chocolate.
O amor não passa
de uma amizade
inflamada.

Luciana Costa
EB1 de Fundo de Vila



Tema: AMOR
TÍTULO: PAI


Pai tu és amigo
Tu és carinho
Tu és uma banda de música
Pai, és um concerto maravilhoso



Pai, tu és notas de música
Pai és trabalhador
És o Pai mais lindo do mundo
Ó pai eu adoro-te e sempre te vou adorar.



Tu és um pai maravilhoso
Tu abraças-me e eu gosto
Tu dás-me beijinhos e eu gosto também
Tu és o melhor Pai do mundo inteiro!       !      !
  

Francisca Almeida Ribeiro (KIKA)
(3º ano de EB1 de Travanca, Oliveira de Azeméis
Prof. Responsável: José Carvalho




Tema: AMBIENTE
TÍTULO:PRIMAVERA

Na primavera os passarinhos
fazem os ninhos e os esquilinhos
andam aos pulinhos.
Os coelhinhos saem da toca
e é uma grande risota.
As abelhas fazem o mel
e eu faço flores de papel.

 
Francisco Leite Pereira
EB1 de Carquejido
Professora: Xana Bastos





Tema: AMBIENTE
TÍTULO:PLANETA AZUL


No planeta em que vivemos, muita coisa temos.
Não o devemos poluir
Nem dele desistir.
É o nosso mundo tão amado
Por isso deve ser muito cuidado!
Se ar puro queremos respirar
As árvores devemos preservar,
Se queremos ver a beleza do mar
Não o devemos prejudicar,
Se da terra queremos colher frutos
Não devemos atirar químicos brutos.
Queremos um planeta azul
Do norte até ao sul!


Eduardo Ferreira Vieira
EB1 do Parque
Prof.: Rute Machado




Tema: OUTROS
TÍTULO: A DEFINIÇÃO DE POESIA


A poesia é a voz do silêncio
é um caminho
de riscos e rabiscos
que tocam suavemente
cada letra formada
cada verso composto
cada prosa narrada.
A poesia…
  
Eduardo Miguel Pinho Oliveira 
EB1 Fundo de Vila
Prof. Ana Clara



Tema: OUTROS
TÍTULO:POESIA

Iremos rimar
à mesa,
a falar                                                                                  
com certeza.

Nós vos
iremos falar
de uma poesia
linda sem parar
e para não tardar
vamos começar.

Havia um menino
Que de tanto rimar
já não sabia
falar.

Esse menino
era especial
e se querem saber
nunca se portou mal.

Seus pais eram
demais
e esta poesia
muito mais.

Jorge e Gonçalo
EB1 Casaldelo
Professora: Filipa Rosário

 
Tema: COMUNIDADE
TÍTULO: A COMUNIDADE


Na nossa comunidade
O que não falta é liberdade!
Temos muita variedade
E muita amizade!


Matilde Augusto Fontes Ramos
EB1 Conde Dias Garcia
Prof. Laura



JOVENS
Tema: AMOR
TÍTULO: QUERIA EU

Queria eu ser…
A água a percorrer
As curvas recônditas do teu corpo
Ser a brisa que te toca
Num gesto meigo de te possuir.
Queria eu ser…
A espuma do mar para em ti me envolver
Ser o vento
E acariciar teu rosto.
Queria eu ser…
A estrela para onde
Desviasses o teu olhar
Ser o paraíso
E em mim te perderes.
Queria eu ser…
O amor da tua vida
E só a ti amar
Contigo para sempre
Eu poder sonhar.
 

Daniela Barbosa
Escola João da Silva Correia



Tema: OUTROS
TÍTULO: EVOCATIVO À FELICIDADE


Bom dia Euterpe.
Já não te vejo há algum tempo…
Como te preparaste hoje para a vida?

Respondendo a uma pergunta tua:
A coisa que me interessa nas horas é
O modo como fluem.
Hás de notar isso, um dia.
Não te obrigo a nada,
Como sabes.
Todavia as horas passam
E embora o mundo nos cegue,
Isto tudo é um gráfico de função afim
Y = -3x
Nada mais do que esta função…
(Para uns o declive é mais acentuado!)
Porém tudo se baseia nisto.
Toma atenção ao que te digo, pois este é
Um dos segredos da vida.
A decadência.


Lembras-te de quando queríamos desvendar os mistérios do Universo?
De repente, tudo o vento levara.
Ou terão sido as horas?
Inclino-me mais sobre a segunda opção!
Mas as horas também nos deixaram algo.
É uma parte da sequência de Fibonacci:
É a Proporção Áurea.
Um modelo que se repete indefinidamente na Natureza…
É este o derradeiro código do Universo.
A infinidade.
E esta implica desconhecimento.
É este o segredo das horas.
Já o sabes.
A Tabacaria acabou de fechar.
Renasceu da luz o Cântico Claro.
E nós levantamo-nos.
Como outrem se levanta de manhã.
Nunca contes estes segredos a ninguém.
Eles nunca compreenderão os segredos do Mundo.
A eternidade escondida nas coisas.
Eu e tu entendemos.
Eles não.

A divergência é especial, cara amiga.
Embora possas pensar o contrário,
A divergência à qual estamos submetidos remete-nos para um Mundo decadente.
Completamente desconhecido.
E ambos fazemos arte.
Arte em todas as suas formas.
Hieronymus Bosch
Marina Abramovíc
Miguel Ângelo
Miró
Streep.
Bem vinda a esta sociedade secreta,
O Priorado do Sião.

Bom dia teorias do Mundo!
Bom dia coisas belas em todo o lugar.
Bom dia da Vinci! E Marlon Brando!
Bom dia odes e poemas!
Bom dia a todas as lixeiras do Mundo, e a todos os vulcões que sustentam
unanimidade na vida.
Bom dia Grécia Antiga!
Bom dia Sol!
Bom dia Euterpe.
Como te preparaste hoje para a vida?




Esta é a Proporção Áurea, encontrada nos
números de Fibonacci. Este padrão repete-se a si mesmo em formas da natureza: nas pétalas das flores, nas abelhas, nas estrelas da galáxia,e em cada molécula do nosso DNA.
É também uma concha de uma espécie de
cefalópode chamado Nautilus.

 











E para mim, é belo.


                                    




ORPHEU (Renato Matos Barbosa)


 
 
Renato Matos Barbosa
Escola Oliveira Júnior



ADULTOS


Tema:AMOR
TÍTULO: AMOR INFINDO

Sempre juntos, afinal!
Há tanto tempo casados
Para o bem e para o mal
Mas eternos namorados

Toda a vida tu me deste
Felicidade e alegrias
Com nossos filhos e netos
Tu és a luz dos meus dias

Há-de o escurecer chegar
E quando a noite, por fim
Vier para me buscar
Não te despeças de mim

Vai para junto da janela
E abre-a, de par em par
Que no vento, através dela
Eu virei para te beijar

Mas se tu me precederes
Na viagem para o além
Abrirei eu a janela
E seguir-te-ei também!


Lizete Gomes


Tema: AMBIENTE
TÍTULO: ÁRVORE


Árvore, doce árvore que me sai dos braços,
que cresce em raízes maduras de água
canto completo,
poema liso, vermelho de ameixa,
poema aceso que anseia a brisa do mar.
Árvore primaveril
inscrita no silêncio esquecido,
amadurecido em teus olhos de amora,
enamorados pelo derradeiro sol de Abril.
                                               
 Luís Aguiar



Tema: OUTROS

TÍTULO: O CÃO



O cão

Tinha frio

Fome e

Olhos de abandono.



Tinha ossos

Debaixo do

Pêlo baço

Corpo desconjuntado.



Tinha o vento

Gelado

A chuva

E a raiva do tempo.



Tinha a árvore

Onde se encostava

E o afago

Duma folha

Esvoaçada.



Levanta o focinho

Sorve gotas

De tempestade.

Bebe alento.



Enrosca-se,

Adormece

No leito de folhas

Molhadas!...



O cão não tinha

Mágoas.


Maria Armanda de Bastos




Sem comentários: