sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

“CHICAGO" DE CARL SANDBURG




Que uma alegria seja o teu sustento.
Estende as mãos e agarra-a ao passar
Tal como o dançarino apache cinge a sua mulher
Eu vi-os a viver sem fim
E a rir sem pejo
Lançados a cantar sem parar
Esmagados até ao coração sob as costelas
Por um amor terrível.
Alegria sempre!
Em toda a parte
Que a alegria te mate.
Põe-te a salvo das pequenas mortes.
 

Carl August Sandburg (1878-1967)
poeta, historiador, novelista e folclorista dos EUA

Sem comentários: